Aplicativo Carteira de trabalho digital

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) é um documento obrigatório para todos aqueles que querem prestar algum tipo de trabalho ou serviço, inclusive de natureza doméstica, como é o caso das empregadas domésticas. Porém, desde 2019 aquela impressa não é mais necessária para a contratação na grande maioria dos casos.

Atualmente, com o Aplicativo Carteira de trabalho digital tudo ficou mais simples e objetivo.

Agora o trabalhador só precisa informar o número do CPF na hora da contratação, enquanto o empregador substituirá as informações anotadas na carteira física com aquelas informadas prestadas eletronicamente no eSocial.

ACESSO

O Brasil, através do Ministério da Economia, buscando modernizar o aparato estatal e diminuir a burocracia, lançou a CARTEIRA DE TRABALHO DIGITAL com o intuito de substituir a Carteira de Trabalho física. Assim, você não precisa mais esperar imprimir a sua carteira de trabalho digital, nem marcar agendamentos ou enfrentar filas para tirar uma 2º via da sua carteira ou coisas parecidas. Agora é tudo online e imediatamente.

Como baixar sua carteira digital:

Ela é disponibilizada para os trabalhadores seja por meio de um aplicativo para celular (para iOS e Android) seja através de uma página na internet. Para acessar a sua carteira de trabalho digital você precisa saber qual o sistema operacional do seu celular.

Para o sistema Android, o aplicativo pode ser encontrado na Play Store; já para o sistema iOS, o aplicativo pode ser encontrado na App Store. Enfim, para aqueles que preferem as páginas internet ou não possuem um celular compatível ou atualizado, o Ministério da Economia disponibiliza uma página para o acesso à nova carteira.

CADASTRO NO APLICATIVO

O primeiro passo foi baixar a carteira digital.

Quando você abre o aplicativo da carteira digital pela primeira vez, serão exibidas essas duas imagens informativas e uma terceira para entrar:

Seguindo, você precisa fazer o cadastro informando seus dados pessoais.

Caso já possua cadastro no no acesso.gov.br, Sine Fácil ou no meu INSS, você precisará apenas colocar seu CPF, clicar em “Próxima”, em “Continuar”, digitar sua senha e então autorizar o uso de dados pessoais.

Caso contrário, será necessário clicar em “Crie sua conta”, informar alguns dados e criar sua senha.

Note que a carteira digital tem dois níveis de acesso. Para o primeiro acesso, se cadastrar e visualizar as informações básicas o acesso é mais simples. Você precisa acertar duas perguntas pessoais das cinco que lhe serão propostas. Já no caso de detalhamento dos vínculos com informações mais sensíveis (salários, etc.) será necessário passar por cinco perguntas pessoais e acertar pelo menos quatro delas. Isso garante que ninguém acesse seus dados digitais.

As telas serão as seguintes:

Após a criação de senha, acesse novamente o aplicativo digite seu “CPF” e a senha cadastrada, e clique em “ENTRAR”.

Você será direcionado às telas da sua Carteira de Trabalho Digital onde constarão as três últimas movimentações de seu último vínculo, bem como seus dados pessoais referente ao CPF.

Para acessar maiores detalhes (ícone contratos), você necessitará responder algumas perguntas sobre sua vida laboral (conforme já mencionado acima).

Caso você erre duas das cinco perguntas, você poderá tentar novamente após 24 horas ou emitir pelo internet banking, dos bancos autorizados CEF ou BB (caso tenha conta neles).

Nas demais abas você poderá por exemplo exportar sua CTPS para o formato digital (PDF) e guardá-la ou enviá-la para algum futuro empregador. Poderá conferir e apontar eventuais erros nos dados cadastrados, entre outras opções.

CADASTRO NO SITE

Para ter acesso à carteira digital de trabalho pela internet (site), você deverá acessar o endereço https://servicos.mte.gov.br. Você verá a seguinte tela:

Caso tenha a senha cadastrada no acesso.gov.br, Sine Fácil ou no MEU INSS, basta clicar em JÁ TENHO CADASTRO, colocar seu CPF e digitar sua senha. Serão apresentados os mesmos passos do aplicativo conforme descrito acima.

Caso você não tenha cadastro, basta clicar em “QUERO ME CADASTRAR” e seguir os passos conforme telas abaixo.

Após a criação da senha, acesse novamente site, clique agora em “JÁ TENHO CADASTRO”, digite seu CPF e senha, e clique em “ENTRAR”.

Em seguida você acessará a “área do trabalhador”, então clique na “Carteira de Trabalho Digital”, conforme imagem a seguir:

A próxima tela conterá, como descrito para o aplicativo, as três últimas movimentações de seu último vínculo e seus dados pessoais referente a base de dados do CPF.

Quando clicar em “CONTINUAR”, será apresentado o detalhamento dos seus vínculos, contendo os dados mais sensíveis. Mas antes você precisará responder algumas perguntas sobre sua vida laboral da mesma forma como descrito para o aplicativo.

Como no procedimento para o aplicativo, caso você erre duas das cinco perguntas, você poderá tentar novamente após 24 horas ou emitir pelo internet banking, dos bancos autorizados CEF ou BB (caso tenha conta neles).

Além disso, nas demais telas você poderá por exemplo exportar sua CTPS para o formato digital (PDF) e guardá-la ou enviá-la para algum futuro empregador. Poderá conferir e apontar eventuais erros nos dados cadastrados, entre outras opções.

DIFERENÇAS DA CARTEIRA FÍSICA

Você poderá notar algumas diferenças ou perceber que alguns dados não aparecem ou são diferentes. Não se preocupe. É assim mesmo.

Por exemplo, a CTPS Digital utilizará como número chave o seu CPF. Ou seja, o número da sua carteira de trabalho agora é o mesmo número de sua inscrição no CPF.

O PIS é outra coisa que muda. Como ele era gerado pela Caixa Econômica Federal e não será mais necessário para a contratação (se a empresa aderiu ao eSocial), você não precisará mais dele pois o número de CPF será suficiente para a contratação.

Agora, seus dados pessoais são os do CPF. Assim, qualquer tipo de alteração deverá ser corrigida junto à Receita Federal.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS
  • Você deve guardar a sua carteira de trabalho antiga pois continua sendo um documento com validade jurídica e, portanto, de valor comprobatório do seu tempo de trabalho. De agora em diante é que você poderá acompanhar tudo de qualquer lugar pelo aplicativo ou pela internet.
  • Você tenderá a abandonar a carteira física. Mas caso seu futuro empregador ainda não utilize o eSocial, você terá que apresentar sua CTPS física. Todavia, em pouco tempo, mesmo nesses casos, você poderá usar a Carteira de Trabalho digital pois o eSocial possui cronograma de implantação (veja no eSocial).
  • Caso existam erros nos dados de contratos de trabalho anteriores você não precisa fazer nada. Essas informações serão corrigidas pelos sistemas que geram os dados da Carteira de Trabalho digital ou em campanhas de atualização cadastral. Por outro lado, se as informações se referem ao contrato de trabalho atual, você pode pedir para a sua empresa enviar as informações corretas pelo eSocial.
  • Para usar o aplicativo da carteira digital você precisa de um aparelho telefônico do tipo Smartphone. Somente nestes dispositivos móveis será possível instalar o aplicativo.

Algumas curiosidades 

Você sabia que a maioria dos trabalhadores não precisam mais andar por aí com a velha Carteira de Trabalho e Previdência Social, aquela conhecida CTPS física que era impressa?

BREVE HISTÓRICO DA CTPS

No governo de Getúlio Vargas, há quase 90 anos (1932) foi criada a primeira carteira de trabalho, chamada Carteira Profissional. Nela se registravam, como na CTPS anos depois, o histórico profissional e os direitos garantidos aos trabalhadores como 13º salário, férias, FGTS, seguro desemprego, entre outros.

Ela foi e precursora da atual Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Nos anos ‘80, ter a “carteira assinada” era sinônimo de garantia e muitas pessoas buscavam, então, trabalhar em empresas que registrassem os seus funcionários. Os mais antigos irão lembrar que antes da carteira do trabalho como nós a conhecemos, só existia a “carteira de trabalhador agrícola” que era utilizada somente para fins contábeis.

Em 2011, o documento passou a ser impresso em papel-moeda, as informações presentes em código de barras para evitar fraudes no preenchimento e integradas a uma base de dados nacional. Em 2017 foi lançado o aplicativo da carteira de trabalho digital, porém ainda não substituía o documento impresso. Enfim, desde 13 de dezembro de 2019, a emissão do documento passou a ser somente por meio digital.

No site do Ministério da Economia é disponível um pdf com todo o passo a passo. Você pode imprimi-lo aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *